Dia Mundial do Saxofonista

6 de Novembro é o Dia do Saxofonista, e não podíamos deixar de assinalar essa data. Mas em vez de falarmos dos grandes saxofonistas do Jazz (esses ficam para outro dia), vamos ver como foi usado na música dita comercial.

Já vos contámos a história deste instrumento: no início não foi bem aceite mas achou o seu caminho para quase todos os géneros musicais populares e eruditos, sendo – de forma surpreendente para alguns de vocês –  um dos instrumentos de eleição para músicos como David Bowie ou Gerry Rafferty (não é ele que toca no seu sucesso “Baker Street”, mas era um dos seus instrumentos preferidos).

 

 

O seu uso na música pop moderna já vem de longe. Um dos sucessos primordiais do rock usa o saxofone, talvez no seguimento das big bands que faziam toda a gente dançar até aos anos 40. Se ouvirmos bem, o Rock Around the Clock do Bill Haley não está assim tão longe do In the Mood do Glen Miller.

 


O saxofone tem tido excelentes intérpretes no rock, e Clarence Clemons, que tocou bastante tempo com um tal de Bruce Springsteen, é talvez um dos seus maiores expoentes. Podemos vê-los aqui no final dos anos 70.


Os anos 80 estão pejados de exemplos do uso do saxofone, demasiados exemplos até. Nem tudo era mau, e surgiram músicas excelente onde o sax ocupava o papel principal, como este Smooth Operator, da Sade.

 


Nos anos 90, bem, Kenny G. Nos anos 2000, música eletrónica a rodos e da má, onde um instrumento que precisa de um fôlego próprio e de espaço para ser bem expresso não tinha lugar.

Felizmente, surgiram estrelas pop que souberam incorporar o timbre especial do saxofone nas suas composições, deixando de parte a ideia que é um instrumento apenas para géneros eruditos ou musicalmente mais exigentes. Lady Gaga, Katy Perry, M83, todos usaram o saxofone como instrumento solo em alguns dos seus singles. Mas vamos deixar-vos com um exemplo do mestre da art pop, David Bowie.

 


Seja em que género for, o saxofone é um instrumento que merece ser celebrado todos os dias, é tecnicamente exigente, sonoramente rico, e esteticamente versátil. Aprender a tocar um é aprender a soprar vida neste mundo através da música.  

Mas, já viram como são feitos? A Rua Sésamo, há já uns anos, fez um pequeno vídeo que nos mostra o processo – neste caso ainda com bastante intervenção humana – do fabrico do saxofone.

Vejam a nossa oferta em saxofones e acessórios.

Sobre o autor

Relacionado

Comentários